Indústria Cosmética

Como a beleza inclusiva tem sido tratada na indústria cosmética?

Conheça 4 cases de sucesso

Escrito por Talk Science

23 SET 2021 - 10H16

artigo-como-a-beleza-inclusiva-tem-sido-tratada-na-industria-cosmetica

A beleza inclusiva na indústria cosmética tem mobilizado marcas a produzir novos produtos e a adotar posicionamentos em peças publicitárias a favor da diversidade nos últimos anos. Além disso, as empresas também buscam impacto com a contratação de funcionários que incluem minorias sociais. 

A bandeira de quebra de paradigmas no setor cosmético ainda atrai altos investimentos. Um exemplo é a plataforma Thirteen Lune, que dá destaque a marcas de cosméticos de proprietários negros e ganhou, com um mês de lançamento, investimentos que somaram US$ 1 milhão.

A seguir, abordamos como a diversidade é tratada na indústria cosmética e alguns cases que valem a pena conhecer. Confira!

O QUE É A BELEZA INCLUSIVA NA INDÚSTRIA COSMÉTICA E QUAL A SUA IMPORTÂNCIA? 

A beleza inclusiva na indústria cosmética enxerga que o mercado precisa atender a todos. Essa tendência reconhece que os consumidores podem ser de diversos grupos, com variadas tonalidades de pele, definições de identidade de gênero, orientação sexual e diferentes formas físicas, por exemplo.

O movimento pela inclusão acompanha a mudança dos conceitos de padrões de beleza, à medida em que ganham força as ideias de representatividade e de aceitação. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2012 a 2019, a população que se autodeclara preta cresceu 36% e a de negros de pele clara, 10%.

Nesse cenário, os clientes querem que os produtos vendidos também estejam de fato sintonizados com as suas necessidades. Portanto, ao vender um batom ou um perfume, por exemplo, é importante que as empresas questionem se os itens conseguem abraçar as diferenças.

COMO A DIVERSIDADE É TRATADA NA INDÚSTRIA COSMÉTICA?

Atualmente, o comportamento de consumo envolve maior busca por informação sobre as empresas. Os compradores buscam identificação com os valores defendidos pelas organizações, inclusive com a diversidade. Assim, as marcas que se mobilizam para desenvolver ações de inclusão também podem ser mais lembradas na hora da compra. 

Entre as principais práticas a favor da inclusão, estão a diversidade na fabricação de produtos. Por exemplo, muitas marcas passaram a ampliar as tonalidades de base para maquiagem após identificar a dificuldade de negras e negros de encontrar produtos mais adequados aos seus tons de pele. 

Da mesma forma, as empresas também percebem que a criação de peças de publicidade deve contribuir para a representatividade de vários grupos. Por isso, crescem iniciativas para incluir nas propagandas modelos com variadas tonalidades de pele e identidades de gênero.

QUAIS SÃO AS TENDÊNCIAS DE DESCONSTRUÇÃO DE PADRÕES NESSE MERCADO?

As tendências de desconstrução de paradigmas no mercado cosmético envolvem a elaboração de conteúdos para publicidade e de produtos com o olhar mais inclusivo. Além disso, algumas marcas também buscam formar equipes mais diversas no ambiente de trabalho. Entenda mais adiante.

PUBLICIDADE

Hoje a audiência busca se ver e se reconhecer nas publicidades dos produtos cosméticos, como os de maquiagem e para cabelos. Por isso, ao acompanhar essa tendência, empresas do setor começam a adotar mais diversidade na escolha de modelos para as peças e também passam a defender o conceito de aceitação das diferenças.

Quando passam a incluir pessoas de minorias sociais nas campanhas, as marcas também assumem posicionamento a favor da diversidade e podem se mostrar atualizadas com as necessidades dos clientes. Por outro lado, as empresas que não investem em ampliar a representação de variados grupos na publicidade podem perder consumidores. 

OFERTA DE PRODUTOS

Além das marcas que produzem variadas tonalidades de bases de maquiagem, que já citamos, também há empresas atentas à diversidade de gênero. A Clinique, Calvin Klein, Asos e Yves Saint Laurent oferecem maquiagem para homens. Ademais, marcas como a Tom Ford e a Mac introduziram linhas neutras de maquiagem em relação ao gênero.

EQUIPES MAIS DIVERSAS

A política de contratação de colaboradores também pode mudar para compreender a diversidade dos grupos e, com isso, demonstrar que as marcas não ficam só no discurso. Por isso, surgem iniciativas na indústria de cosméticos para ampliar o recrutamento de negros e negras nas empresas e contribuir para impactos positivos na sociedade.

CONHEÇA 4 CASES DE MARCAS QUE GANHARAM DESTAQUE COM BELEZA INCLUSIVA 

As ações de inclusão aparecem em empresas de cosméticos de diversos portes, desde as maiores do mercado até as marcas menos tradicionais. Conheça a seguir 4 iniciativas que ganharam repercussão e tornaram as empresas mais reconhecidas por apoiar a diversidade. 

1. NEGRA ROSA

A marca Negra Rosa nasceu quando a blogueira e youtuber Rosangela Jose da Silva percebeu que não haviam muitos produtos de maquiagem voltados para a mulher negra. Por isso, ela resolveu criar uma linha pensada para atender os variados tons de pele e se tornou diretora de criação da marca, que é focada em cosméticos para a pele negra. 

O Instagram da marca apresenta diversos tutoriais de maquiagem para variados tons de pele negra e também de finalização para cabelos crespos e cacheados. As postagens da rede social da Negra Rosa também são direcionadas para ressaltar a beleza da mulher negra.

2. NATURA

A tradicional Natura é outro exemplo de marca atenta à importância da diversidade. Uma das ações foi a campanha lançada para promover a “Coleção do Amor” da linha de maquiagem Faces. O filme focado no meio digital traz cenas de casais homossexuais se beijando. 

A peça publicitária gerou algumas críticas de internautas que chegaram a sugerir o boicote da marca. Por outro lado, muitos usuários das redes sociais elogiaram a iniciativa. A Natura se posicionou em um pronunciamento oficial, ao defender o valor da diversidade e reforçou o apoio à causa LGBT+.

3. AVON

A Avon também lança mão de estratégias de apoio à diversidade em suas campanhas de publicidade. Em uma das ações, lançada em 2015, a marca convidou a cantora trans Mel Gonçalves, da Banda Uó, para a peça publicitária da campanha do Outubro Rosa, que chama atenção para a necessidade de prevenção ao câncer de mama.

A empresa de cosméticos também divulgou, em novembro de 2020, Mês da Consciência Negra, a meta de aumentar em 30% a presença de mulheres negras em cargos de chefia e contratar 50% de pessoas negras em seus quadros. Para alcançar esse objetivo, a marca conta com consultorias especializadas.

4. FENTY BEAUTY

A Fenty Beauty, fundada pela cantora Rihanna, surgiu com a missão de criar produtos de beleza para todas as pessoas. A abordagem de marketing da organização parte do princípio de menos discurso e mais ação e não chega a usar o termo "inclusivo" em suas mensagens. Para alcançar os consumidores, a marca busca compartilhar histórias com autenticidade.  

Com base no que foi apresentado, você compreendeu que a beleza inclusiva na indústria cosmética abrange iniciativas de produtos que atendem a variados grupos e peças publicitárias que defendem a diversidade. As empresas do setor também incluem políticas a favor da ampliação da contratação de minorias sociais em seus quadros de funcionários.

Gostou de aprender sobre como a beleza inclusiva tem sido tratada por empresas do setor cosmético? Compartilhe este conteúdo nas redes sociais e let’s talk! 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Talk Science, em Indústria Cosmética

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.