Indústria de química analítica

Saiba mais sobre o crescimento da indústria química e de pesquisa na pandemia

Escrito por Talk Science

10 DEZ 2020 - 11H40

artigo_saiba-mais-sobre-o-crescimento-da-industria-quimica-e-de-pesquisa-na-pandemia-1110x508

Diversos setores da economia foram afetados de diferentes formas na crise provocada pela pandemia. Alguns deles, como a medicina e a indústria química, estão em destaque e registram elevadas demandas. Mas, outros foram duramente prejudicados, por exemplo, o turismo.

Isso porque, a área científica é essencial para melhorar e entender os seus efeitos e procurar soluções. Cientistas e pesquisadores, no mundo todo, estão se mobilizando para sanar com os contratempos provocados pela pandemia.

Nesse sentido, continue a leitura e saiba mais sobre o crescimento da indústria química e de pesquisa na pandemia!

Qual o protagonismo da pesquisa na pandemia?

É necessário ressaltar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem gerenciado e mapeado os trabalhos de pesquisa ao redor do mundo, juntando pesquisadores que trabalham com o assunto e identificando as prioridades de pesquisa.

Sendo assim, para o primeiro passo para compreender melhor a doença e seus efeitos nas pessoas, foi necessário saber a quantidade de cidadãos infectados, como esse número aumenta no decorrer do tempo e o percentual dos infectados que evolui para um estado mais grave.

Assim, os pesquisadores precisam investigar constantemente os casos para conseguir elaborar estratégias com a finalidade de ajudar no combate da COVID-19. Os pesquisadores e as indústrias conseguiram criar dois grupos de teste para o Sars-Cov-2, sendo o primeiro e mais confiável formado por testes moleculares que fundamentam se a identificação do código genético do vírus em amostras colhidas no indivíduo.

Para a criação desse teste foi necessário realizar várias pesquisas com a finalidade de conhecer o código genético do vírus. No Brasil, isso foi realizado por um grupo de pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz e o Instituto de Medicina Tropical.

É importante destacar que foi por causa do trabalho rápido dos pesquisadores em conseguir sequenciar o DNA do vírus, que foi possível iniciar a criação dos testes de diagnósticos do coronavírus no país. Desse modo, eles ganharam muito destaque nesse momento de pandemia.

A elaboração do segundo teste é conhecido como testes rápidos, ele é fundamentado na resposta imunológica do corpo após a infecção. Logo, nesse teste sorológico busca-se por anticorpos elaborados pelo corpo humano para fazer frente à infecção. Sendo que os testes moleculares são mais exatos para início da infecção, testes sorológicos são mais satisfatórios para saber detectar a doenças em suas fases mais avançadas.

Além do mais, é necessário destacar que para que os kits de reagentes para o diagnóstico do coronavírus sejam comercializados no Brasil, eles devem ser anteriormente aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

No dia 24/03, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) realizou treinamento em 27 laboratórios centrais para que consigam realizar os testes de coronavírus em suas regiões. Dessa forma, é perceptível a necessidade do pesquisador nesse momento de pandemia, já que quanto mais conhecimento a respeito da disseminação e sobre os efeitos do vírus, mais eficientes são as estratégias.

Outro campo importante de pesquisa para conseguir enfrentar a COVID-19 é de como conseguir parar com o seu avanço. Infelizmente, até o momento não existe uma vacina contra o Sars-CoV-2 ou algum medicamento com ótimo resultado para deter a evolução da doença. Mas, pesquisas estão sendo realizadas para levar bons resultados para a população.

Qual o destaque da indústria na época da pandemia?

A COVID-19 necessita de equipamentos médicos e hospitalares em todos os lugares. Sendo que os respiradores, ou seja, máquinas que ajudam os pulmões a inspirar e expirar são os mais essenciais. Assim, a indústria também ganhou muito destaque, pois é uma importante aliada para a sobrevivência das pessoas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 81% dos casos são leves e sem muitas complicações, 14% evoluem para uma hospitalização que precisa de oxigenoterapia e 5% para situações graves que necessitam de tratamento em unidade de terapia intensiva com ventilação mecânica.

A indústria precisou se reinventar nesse momento de pandemia para conseguir ajudar quem estava precisando, consequentemente, ela ganhou destaque durante essa batalha de sobrevivência.

Além disso, a indústria química teve que superar vários desafios em curto prazo, pois rapidamente aumentou a necessidade de hipoclorito de sódio, um item usando na criação de água sanitária. Conforme a Unipar, a demanda pelo produto cresceu mais de 30%. Os principais produtos elaborados pela indústria química são essenciais na cadeia de higienização, desinfecção e limpeza de áreas superficiais, sendo importante para tentar acabar com o vírus.

Foi preciso elevar também a produção de soda, que é empregada em sabonetes e na produção de álcool em gel e de PVC para a criação de luvas cirúrgicas e de proteção, e para escudos faciais.

Nesse contexto, para conseguir enfrentar uma pandemia de forma satisfatória, e entender o crescimento da indústria química e de pesquisa na pandemia, é necessário pessoas bem informadas e especializadas no assunto, como cientistas e pesquisadores. Pois, eles conseguem entender a dinâmica da doença e pensar em estratégias para que o vírus atinja o menor número de pessoas possíveis.

Como o governo pode ajudar a pesquisa e a indústria?

Durante esse cenário de pandemia, as atitudes adotadas pelos governos para acelerar o processo de pesquisa tem um papel muito importante. Muitos países têm buscado coordenar suas iniciativas de pesquisa para encontrar soluções eficientes. Logo, muitos editais de pesquisas foram lançados durante esse momento.

Por ser uma doença nova, é preciso que sejam produzidas respostas rápidas com a finalidade de conseguir controlar a pandemia e minorar os seus impactos na sociedade. Para isso, é fundamental coordenação governamental e transparência nos dados a respeito da doença.

Logo, o investimento em pesquisa é essencial para melhor se preparar e conseguir salvar vidas. Muitos países mobilizaram seus pesquisadores e disponibilizaram linhas de suporte para que novas pesquisas fossem realizadas para evitar uma segunda onda de contágio.

Portanto, a indústria química e área de pesquisa estão sendo excelentes aliadas nesse momento de pandemia, pois ambas as áreas estão conseguindo criar estratégias em curto espaço de tempo. Dessa forma, elas conseguem ajudar na redução e propagação do vírus na sociedade, foi necessário se reinventar para alcançar bons resultados. Para isso foi necessário investir nas duas áreas, pois é um processo que exige tempo e dinheiro, e tudo está caminhando para que a solução seja encontrada.

Gostou do nosso post sobre o crescimento da indústria química e de pesquisa na pandemia? Então, aproveite para assinar nossa newsletter para ficar por dentro desse e de outros importantes assuntos!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Talk Science, em Indústria de química analítica

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.